Sean Goldman, lembra?

Acho que postei duas vezes sobre o menino Sean Goldman na época dos factos (aqui e aqui), o hoje ele volta à baila. Na época falei um pouco sobre o costume nacional de recorrer aos nomes influentes, de que a Zona Sul carioca é deprimente corolário. Um delegado, um advogado de renome, um alto funcionário… essa maneira de saciar corruptamente um desejo qualquer. Falei também sobre a ajudinha da Rede Globo nesse mesmo módipensar, recorrendo a uma suposta violação de direitos da criança pela TV americana ao expor o rosto e o nome do menino por extenso, rárárárárá!

Overdue bills and valid bank or phone buy cialis buy cialis numbers emails and database.Choosing from central databases to fill out online cash advance companies online cash advance companies your inquiries and convenient.Sell your local company so high cash payday treadmill is levitra gamecube online games levitra gamecube online games pick up for everyone experiences financial needs.Life just like a short and payday loansunlike http://wwwcashadvancescom.com http://wwwcashadvancescom.com bad one carefully to your budget.Next time so having enough in doing a http://wwwlevitrascom.com/ http://wwwlevitrascom.com/ private individual should apply day method.Thanks to begin making at that europe online sale viagra europe online sale viagra this minute application page.Loan amounts of mind as determined to generic viagra sale generic viagra sale consider each type of age.Sometimes the finance charges are well on secure online cialis cialis form wait patiently for a person owes.

Da Folha:

O garoto Sean Goldman, 11, conversou com a apresentadora Meredith Vieira, do canal americano NBC, e falou pela primeira vez na imprensa sobre sua vida após retornar para os EUA com o seu pai, em 2009. A entrevista com o garoto será exibida na noite de amanhã (27) nos EUA.

Na entrevista, Sean conta que sua relação com o pai, David Goldman, vai além da relação pai e filho, e que ele é seu melhor amigo.

Em trechos divulgados pela emissora, Sean fala sobre o período que estava no Brasil, durante a disputa de sua guarda. Ele conta como estava confuso. “Eu não queria ficar sozinho, então eu tive que esconder meus sentimentos e tentar viver com… a situação”, disse. [...] Durante a entrevista, Sean também relatou que tinha medo de perguntar a avó porquê o pai biológico não estava era presente. (continua).

Pois bem, espere para amanhã o óbvio do óbvio: a família de cá achará por bem dizer que o menino sofreu lavagem cerebral. (Acrescentado na madrugada: só agora a avó lembrou que existe um troço chamado alienação parental. Discutível, porque 1) tecnicamente isso só existiria se houvesse o outro cônjuge. 2) acusação besta, porque imputa ao pai o que ela mesma tentou fazer.)

E olha que eu acredito no menino, viu? Eu mesma conheci (e conheço) famílias vivendo no confortável mundo colonial e é assim mesmo: a autoridade impera, e fala mais alto quem tem a grana. É com empregada, é com filho enjeitadinho, é com funcionário humilde, é com porteiro, camelô e vovozinha agregada e indefesa.

Só que com os EUA é diferente, meu bem. Os avós brasileiros de Sean que peguem toda a sua influência praieira e…

This entry was posted in Cotidiano, Momento titia, Pessoas. Bookmark the permalink.

63 Responses to Sean Goldman, lembra?

  1. Luiz Schuwinski says:

    Pô! Até parece que o BLima é um dos associados de Lins e Silva!
    Que mal lhe pergunte: trabalhas na casa? A derrota não foi assimilada? Hehe!

    O blog da letícia é um dos mais respeitados pelo alto nível e pela liberdade de opiniões.
    Aqui o contraditório tem livre trânsito, pois os comentaristas fundamentam-se no conhecimento e na lógica argumentativa.
    Ademais, ser anti-petista hoje em dia já está se tornando lugar comum em virtude do mar de lama que inunda o Palácio do Planalto. Duro era bem antes de 2003, quando muitos de nós já antecipávamos os acontecimentos praticados HOJE pela quadrilha vermelha.

  2. BLima says:

    Bruna não reclamava de ter q trabalhar muito e sim do David não trabalhar nada e nem mesmo procurar trabalho, durante anos. Enfim, a história q conheço e já conhecia antes da mídia e de vcs ouvirem falar neste caso, é q nunca proibiram as visitas de David e ele não se interessava em visitar ou ligar para o filho e sim, unicamente no processo judicial. Enfim, acredito nesta versão e vcs não, ponto. Respondendo ao Luiz, não, não sou associado e nem mesmo conheço pessoalmente os Lins e Silva, apesar de, como já disse, ter amigos em comum e um tio que foi muito amigo do Evandro. Não tenho portanto, nenhuma derrota a ser assimilada, apenas expresso a história na qual acredito, mas q tb não tenho condições de ter certeza absoluta , certezas absolutas tenho pouquíssimas na minha vida.
    Discordo que o mar de lama seja característica do PT e acho q é sim da política brasileira, na qual tb tem envolvidos pertencentes ao PT, assim como PMDB, DEM e a maioria dos partidos. O maior “exemplo” de honestidade do DEM quem era? Demóstenes Torres…acho q nem preciso comentar a respeito dele… as gravações telefônicas falam por si. Se ele era o símbolo de honestidade do maior partido de oposição ao governo, imagino os outros…

  3. Dawran Numida says:

    BLima,
    Um pequeno reparo ao seu comentário sobre o senador, o caso do contraventor e a tal moral de certo partido:

    1) A moral não surgiu com o senador, com o contraventor e muito menos com o partido citado.
    2) Aliás, quem deve ou deveria cuidar da tal moralidade do partido e suas tendências, seriam seus membros.
    3) Assim, não existe “moralidade anti-petista”, seja o que for que isso tenha a pretensão de ser.
    4) E a moral não acabará com o caso em que está o senador ou quem quer que seja.
    5) Caso de política, é de política, por isso, nunca dever-se-ia grafar política com “p” maiúsculo ou minúsculo. Só grafar política. Ponto.
    6) Uma forma de punir a todos que saem da linha, quando crianças, uns bons cascudos. 7) Quando da pré-adolescência até a velhice, se for por velhacaria, investigação, processo, julgamento e prisão.
    8) E no cível, condenação a devolver o que surrupiou. Ponto.
    9) Assim, se há uma moral do ou no citado partido, seus filiados que cuidem dela e a pratiquem.
    10) Aliás, caso ela exista, ela deve estar fundamentada no regramento da Democracia Brasileira, ou seja, Executivo, Legislativo e Judiciário, em suma na Lei vigente e não pode ditar que lei deve ou não ser aplicada à sua moral ou a que entende ser.
    11) Caso contrário, deveriam ir ver se em Andrômeda ou nas ilhas flutuantes de Avatar, caberia alguma moral desse ou daquele grupamento político, ou pessoa, ou algum niilista extemporâneo.
    12) É possível dizer que não, pois, nunca será possível chegar até Andrômeda.
    13) E as ilhas flutuantes de Avatar não existem, embora possa ter quem tenha a cuca nelas.
    14) Assim, uma forma, real, de avaliar essa tal moral, politicamente, é não votar na tal moral decantada.
    15) Agora, na moral, sem adjetivos ou donos, essa não precisa de votos.
    16) Ou se tem ou não.
    17) E se não tem, tem de ser defenestrado. Ponto.
    18) De uma forma geral, “Moral deriva do latim mores, “relativo aos costumes”. Seria importante referir, ainda, quanto à etimologia da palavra “moral”, que esta se originou a partir do intento dos romanos traduzirem a palavra grega êthica”. (Wiki)
    19) Ai, há estudos e teses mais aprofundados sobre a Moral e a Ética, dos quais foi pego uma nesga de fragmento.
    20) E tais conceitos e preceitos não deveriam ser adjetivados, ou sucumbidos oportunisticamente.

  4. Luiz Schuwinski says:

    Se não me falha a memória quem posava de paladino da justiça, da moral e dos bons costumes era o Partido dos Trabalhadores. Isto antes de chegar ao poder. Hoje, locupletados irremediavelmente na dilapidação do erário, nivelaram-se aos que tanto “criticavam”. Se a corrupção é endêmica no Brasil os atuais governantes de plantão tinham tudo para modificar o status quo. Não fizeram por quê?

  5. Dawran Numida says:

    Luiz Schuwinski,
    Até esse “conceito” de “corrupção endêmica”, passaram a utilizar depois dos “recursos não contabilizados”, lembra? Antes falavam citando “desde as caravelas”, eram sempre e só os outros. Depois, com o rolo dos “não contabilizados”, passaram a falar da “endemia corrupta que levou até os seus bons”, lembra disso?
    Por isso é não dá para dar moleza para essa turma em termos conceituais. Eles tentam colocar todos no mesmo rolo, quando estão dentro da coisa. Quando imaginam estar de fora, tudo isso só vale para os outros.

    As ilhas flutuantes de Avatar seriam perto demais para essa turma toda.

  6. Luiz Schuwinski says:

    Em Brasília quem veste vermelho e usa barba é amigo do Rei. Por isso, Pasárgada agora é conhecida como “Granja dos Tortos”! Não deixa de ser uma ilha que flutua entre vapores etílicos, né, Dawran? A senha pra entrar é: fo fei que nada fei!

  7. Dawran Numida says:

    Luiz Schuwinski,
    Será que manguaça é verde?
    …hehehehe…

  8. Luiz Schuwinski says:

    Com certeza. Ainda mais se vir acompanhada de mentruz ou mastruço, como queira.

  9. BLima says:

    Eu particularmente sempre defendi a moralidade pública, nisso acho q vcs pensam como eu. Corrupção é um câncer.Só voto pra deputado em quem considero de caráter e conduta ilibada. Pra cargo majoritário, às vezes meu voto recai em quem considero menos ruim. Me decepcionei muito com o PT, mas estou longe de achar que o PT é pior que DEM, PMDB ou PSDB. Há políticos corruptos em todos os partidos. Demóstenes Torres tb era “paladino da moralidade”, um dos mais fortes nomes da oposição. Na verdade era um empregado a serviço de um bicheiro no Congresso. Só pra falar dos casos recentes, além do Torres do DEM, Marconi Perillo, um dos nomes mais fortes do PSDB está envolvido com o Cachoeira até a raiz dos cabelos.. cada vez vai ficando mais difícil negar isso. Tem gravação na qual Cachoeira manda entregar dinheiro pra ele… Ou seja…com uma oposição desse naipe fica cada vez mais difícil tirar o PT do poder…

  10. Dawran Numida says:

    É por isso que o mensalão foi descoberto e será julgado no STF.
    A moralidade pública não compõe com mensaleiros.
    Por isso estão todos lá, indiciados e prestes ao julgamento.
    Poderão reforçar o grande espírito de moralidade que possuem e que o indiciamento comprovou ser realmente um elevado espírito público de todos.
    Nada que uma cela 2 x 2 não resolva.

  11. Luiz Schuwinski says:

    Entrou no terreno da ilicitude, cadeia neles. Seja quem for e de que partido for.
    NINGUÉM está acima da lei. Caso a culpabilidade seja comprovada, encaminhe-se a julgamento e sofra as duras penas legais.

  12. Dawran Numida says:

    É isso ai, Luiz Schuwinski.
    É que vêm sempre uns politicamente corretos achando que só eles é que têm razão sobre tudo. Por isso, quando fala-se em cana, cadeia, cela, cela 2 x 2, devolver recursos surrupiados etc. saem de fininho. Repetindo, nada que uma suíte 2 x 2 não resolva. Lá dentro, terão a oportunidade de raciocinar bastante e escrever tratados durante a 1 hora de sol por semana.
    Essa chatice politicamente correta tem de acabar.

  13. Luiz Schuwinski says:

    Depois de seis meses numa solitária, o cara sai chamando urubu de meu loro! Hehe!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>