Alguém está mentindo

Você compare duas matérias.

A primeira é esta, do Estadão de ontem, (reproduzida pela Folha hoje) em que se diz que a opração na Cracolândia foi decisão de segundo escalão e que tomou de surpresa não só a Prefeitura e o governo do Estado, mas o próprio comando da PM. E que, na verdade, era algo para coincidir com a abertura, em fevereiro, de um centro de tratamento de drogados na região.

Na segunda, de ontem, também da Folha, a jornalista Catia Seabra afirma que a ação foi decisão da Prefeitura e do governo do estado em antecipação ao governo federal, que planejava fazer um fuá cabralesco na região com vistas às próximas eleições estaduais. Um trecho:

[...] Cotado para a disputa pelo governo de São Paulo em 2014, Padilha chamou a atenção de tucanos ao declarar, em entrevistas, ter visitado a região da cracolândia até de madrugada.
Em conversas, Alckmin repetia que a dependência química é a pauta do momento e manifestou o temor de que o governo Dilma assumisse a bandeira de combate ao tráfico de drogas.
A proposta da operação nasceu há dois meses. Segundo integrantes do governo estadual e até do municipal, foi Kassab quem procurou Alckmin. O prefeito nega ter tomado a iniciativa.
A Folha apurou que a vice-prefeita e secretária municipal de Assistência Social, Alda Marco Antonio, e o secretário municipal da Saúde, Januário Montone, procuraram Alckmin em nome do prefeito Kassab.
Durante os preparativos da operação, Kassab se preocupava com o efeito da operação -como a dispersão de dependentes químicos pela cidade- e queria dividir o ônus com Alckmin.
Mas havia também uma cobrança da opinião pública sobre o assunto, diagnosticada em uma pesquisa interna, comparando São Paulo ao sucesso de operações no Rio. (íntegra p/ assinantes)

Então vocês se resolvam, né, benhê! Kassab (e Alckmin) sabia ou não sabia da ação? Era para ser rápida ou deveria esperar até fevereiro?

Das duas uma: ou a imprensa anda usando fonte de enésimo escalão ou a imprensa anda usando fonte de enésimo escalão. Se os únicos amiguinhos da Folha/Estadão são funcionários públicos petistas-frustrados-com-seu-salário-que-querem-o-PSDB-fora-do-governo, é sinal de que o jornalismo anda mal.

Não era melhor pedir entrevista com o prefeito ou o governador para esclarecer tudo? Ou não é de praxe conultar os dois?

This entry was posted in Eleições. Bookmark the permalink.

9 Responses to Alguém está mentindo

  1. Dawran Numida says:

    Leticai,
    Só faltou na reportagens o clássico “…e depois, todos do reino viveram felizes para sempre…”. Impressionante a profusão de fulano e sicrano, ouvido beltrano…Caramba, o negócio lá ocorre há anos a fio. A degradação do centro, idem. Os programas, projetos e planos, idem.
    A cada reportagem mais dúvidas são lançadas como se os assinantes e leitores fossem só um bando de imbecis manipuláveis.
    Mais uma vez a cobrança:
    1) por que o Governador e o Prefeito não falam grosso sobre o assunto de uma vez por todas?
    2) por que as duas agremiações partidárias de suporte a ambos ficam na moita, como se o assunto não fossem com eles?
    3) por que o governo federal, se pretendia fazer algo, não coloca agora toda a sua estrutura em São Paulo, seus hospitais, viaturas, médicos, enfermeiros, assistentes sociais, psicólogos e psiquiatras, suas casas de recuperação, seguranças e o que mais tenha à disposição do Governo do Estado e da Prefeitura?

    A terceira questão nem há necessidade de resposta alguma.

  2. Claudio says:

    Pô Dawran, justo a terceira questão não precisa de resposta? As outras duas são fáceis de responder. O PT é o único partido politico com um lider que manda e os demais membros obedecem. Basta ver a situação de submissão da Marta Suplicio em São Paulo. A grande maioria dos integrantes dos partidos de oposição estão preocupados apenas com sua própria imagem, só isso.

    E veja, Dilma resolveria fácil o problema na cracolândia. Ao menos aos olhos da imprensa patrocinada e oposição inerme. É só imaginarmos que no Brasil existe um Déficit de seis milhões de moradias. Como Dilma anunciou mais três milhões de casas no programa “minha casa, minha vida “… Não importa se entregou menos de trezentas mil e não vai sequer se aproximar da meta. O que importa é como a notícia chega ao eleitor menos informado, só isso. Consigo até imaginar um nome de impacto para o PT faturar em cima desse gravíssimo problema: “Governo Federal, São Paulo livre da cracolândia”, mostrando algum ator representando um ex-drogado ao lado da mãe orgulhosa.

  3. Leticia says:

    Governo federal botando dinheiro (mesmo que um dia isso venha a ser verdade em SP) é algo muito complexo, e vai rigorosamente até a página 2. Veja, por exemplo, as ambulâncias do Samu: são de responsabilidade do governo federal em qualquer lugar. Daí pra funcionarem, são outros 500. Precisa haver uma dinâmica tal na cidade e no estado para que tenham manutenção, gasolina, motoristas, horário, cartão de ponto, blindagem contra a corrupção, equipe de atendimento qualificada, boa organização entre polícia/bombeiros/resgate, etc., recepção/vagas em hospitais…

    Quer dizer, não precisa pensar muito pra saber por que as ambulâncias do Samu de Santo Antão do Fim do Mundo estão apodrecendo num pátio qualquer.

    O governo federal tem de entrar com grana, como é sua obrigação. O resto, a gente mesmo faz. Não quero nem pensar no desastre que seria uma “equipe federal” cuidando dos noias daqui…

  4. Dawran Numida says:

    Claudio,
    Deu para perceber por que a terceira questão não precisaria de respostas?

    Tanto quanto “o perfil técnico” que querem atribuir à mandatária federal atual. Pois bem. Em 2011, logo no primeiro ano de “gestão técnica”, o Brasil está com inflação fechada em 6,5% aa. e o PIB deve fechar bem abaixo disso.
    Tecnicamente, isso seria estagflação. Economia estagnada e inflação elevada.
    Só que ninguém fala ou escreve ou critica.

    Assim, fica a questão sobre a questão de a terceira questão não necessitar de respostas, dado a clareza do que ocorre, certo?

  5. Leticia says:

    Além disso, é suuuuuuupertécnico criar uma frente não sei de quê depois que a casa desabou, a cidade alagou, as pessoas morreram. Perfil técnico o cacete!

  6. Dawran Numida says:

    Mandou bem e na veia, Leticia!!!

  7. Leticia says:

    Somos um aglomerado de mentiras, disfarces e puxa-saquismo.

  8. Refer says:

    Acabei de chegar do Centro Velho; aproveitei para dar uma volta por aquelas paragens, Rua Boa Vista, 15 de Novembro, Quintino Bocaiuva, José Bonífácio etc., coisa que eu não fazia há muitos anos. Tive a manha de ir tomar café no mesmo bar da Rua 3 de Dezembro que eu frequentei havia umas 2 décadas, pelo menos.

    Gostei muitíssimo do que vi: ruas limpas, bem policiadas, sem camelôs, sem aquelas barraquinhas horrorosas que atravacam as calçadas, lojas + bem cuidadas, sem os pavorosos out-doors de antanho; enfim, melhorou uns “mil por cento”. Acho inacreditável que não se dê algum crédito e algum tempo ao poder público no esforço que se faz agora para erradicar a cracolândia em futuro próximo. A melhoria geral do Centrão também não se fez de um dia para outro, situações complexas exigem tempo e paciência — se tivesse um mínimo de vergonha, o governo federal assumiria a obrigação de, pelo menos, não atrapalhar!

  9. Leticia says:

    Refer, até o dia em que o governo/prefeitura resolver dar um jeito na parte de lá do Viaduto do Chá. A rua Barão de Itapetininga é um dormitório à noite. Um horror! Adivinha quem “trabalha” juto aos moradores de rua de lá? O Lancelotti. Claro, como na Cracolândia, seu trabalho não dá certo nunca.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>